Compartilhar é se importar!

Infelizmente o número de brasileiros (e estrangeiros) que vivem em habitações com condições estruturais precárias continua alto, mas nos últimos anos, com o programa Minha Casa, Minha Vida, muitas famílias foram favorecidas com uma série de benefícios previstos em lei – que fez o programa registrar um aumento relativamente grande no número de inscrições, porém poucos foram atendidos.

Diante desse quadro, o Governo Federal desenvolveu novas regras Minha Casa, Minha Vida 2017 com o intuito de ampliar os favorecidos pelo programa. Essas novas regras incluem desde reformulações do limite de renda mensal ou anual que as famílias devem atender e inclusive aumento das metas para o programa.

Deseja saber quais são as novas regras Minha Casa, Minha Vida 2017? Confira.

 

  • Aumento no investimento do Governo para com o programa Habitacional

Para o ano de 2017, o Governo Federal aumentou o valor a ser investido a partir do programa. Na cartilha em que as novas regras foram divulgadas nota-se que a verba dedicada ao programa é de R$ 2,1 bilhões e que de fato pode ser usada para beneficiar cerca de 122 propostas que forem selecionadas. Mas essa verba será aplicada apenas aos 77 municípios brasileiros que participam do programa.

 

  • A meta do programa é contratar até 610 mil unidades habitacionais

Além disso, as novas regras Minha Casa, Minha Vida 2017 tem como foco fazer – ou contratar – cerca de 610 mil unidades habitacionais. O aumento aconteceu por faixa, até totalizar esse valor. Sendo assim, na primeira faixa deve-se ter 170 mil unidades, enquanto a faixa 1,5 terá até 40 mil unidades e por fim, a segunda e terceira faixas tendem a ter 400 mil unidades – divididas em vários municípios.

 

  • Novo teto por regiões, com a ampliação dos limites de uso do FGTS

Outra mudança no programa foi a reformulação do teto por regiões. Em 2017, o Governo Federal aumentar os limites de uso do fundo de garantia do tempo de serviço (FGTS). O aumento ocorreu por localidade, por isso os limites do Distrito  Federal, São Paulo e Rio de Janeiro deixam de ser R$ 225.000 para R$ 240.000. Já capitais do Norte e do Nordeste passam de R$ 170.000 para o de R$ 180.000.

 

  • A faixa de Renda Familiar para participar do programa fora ampliada

Essa mudança, sem dúvidas, foi uma das mais interessantes, pois permite que o número de cidadãos a serem beneficiados seja elevado. Se antes o limite para a renda familiar para 1,5 faixa era de até R$ 2.350, agora passa a ser de 2.600; já na segunda faixa, o limite passa de R$ 3.600 para R$ 4.000 e finalmente, para a terceira faixa ele deixa de ser de R$ 6.500 e amplia-se para o valor de R$ 9.000.

 

  • Mudanças nas prioridades de famílias que são atendidas no programa

Entre as novas regras Minha Casa, Minha Vida 2017 é preciso destacar que há mudanças nas famílias consideradas prioridades para o programa. A nova regra determina que as famílias com crianças que tenham microcefalia são prioridade máxima. Além disso, as famílias que vivem sobre áreas consideradas de risco ou insalubres e que tenham sido desabrigadas, também estão entre as prioridades.

*** Nessa lista de prioridades, o Governo determina que mulheres que passam a ser responsáveis pela unidade familiar e inclusive, as pessoas com deficiência, são mantidas como prioridades, sendo crucial afirmar isso a partir do cadastro e há casos em que pode ser preciso apresentar documentos para comprovação.

 

Busque por entidades organizadoras, faça o seu cadastro e tire as suas dúvidas.

Compartilhar é se importar!

Participe da discussão

17 comentários

  1. gostaria de informações sobre o cadastramento e inscrição do programa minha casa minha vida.

  2. Moro de aluguel e estou desempregada. Já sou inscrita no programa e até hoje não recebi minha casa…fico sem entender. Pessoas que já possuem casa própria ganhar outra….

    Pelo amor de Deus, quero minha casa própria

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *