Compartilhar é se importar!

O sonho da casa própria te parece impossível de ser conquistado? Esqueça isso, pois muitos brasileiros foram beneficiados com o programa Minha Casa, Minha Vida nos últimos anos e finalmente, podem dizer que possuem uma casa digna para viverem com a família em segurança e, por valores que são mais em conta.

Em um financiamento de imóvel “habitual” é comum que seja acrescentados os juros ou taxas altíssimas, e que basicamente dificultam o pagamento correto de suas prestações. Já no financiamento Minha Casa, Minha Vida além dos juros e taxas serem relativamente baixos (ou inclusive, inexistentes), é possível parcelar o valor subsidiado em suaves prestações e sem que isso prejudique o seu bolso.

Confira no texto o passo a passo para financiamento Minha Casa, Minha Vida.

 

# Passo 1 – Analise as regras do programa Minha Casa, Minha Vida

Antes de iniciar o processo para financiar o seu imóvel pelo programa, passa ser necessário analisar as regras do mesmo e ver se realmente segue os requisitos previstos em lei. Por exemplo, se tiver uma renda familiar bruta e mensal maior que R$ 9.000, não poderá participar do programa, mas se ela for menor, existe a possibilidade de continuar esse passo a passo para iniciar seu financiamento.

 

# Passo 2 – Identifique em quais dos grupos a sua renda se encaixa

Em ambas modalidades do programa (habitação rural ou urbana) existem faixas ou grupos para melhor dividir os participantes do programa. Neste sentido, será importante identificar em qual dos grupos sua renda se encaixa para que então, possa não apenas ir até o local adequado para se cadastrar no programa, como saber qual o limite de subsídios repassados pelo Governo a cada região do país.

 

# Passo 3 – Entenda qual é o limite de subsídios para cada região do país

As novas regras do programa Minha Casa, Minha Vida aumentou não apenas o limite de renda mensal familiar permitido para participar do programa, como os valores de imóveis que podem ser “adquiridos”, ou os valores repassados para a família, considerando a região que vivem. Para o Distrito Federal, São Paulo e o Rio de Janeiro é de R$ 240 mil e às capitais do Norte e Nordeste de R$ 180 mil.

 

# Passo 4 – Procure por uma Entidade Organizadora para iniciar o processo

Antes de solicitar o seu financiamento deverá comparecer em alguma entidade organizadora, que pode se caracterizar como cooperativa habitacional ou mista, uma associação ou uma entidade privada que não tem fins lucrativos. Assim, a partir do momento que encontrar uma entidade, ela pode saber quanto poderá investir e entregar documentos na Caixa no intuito de solicitar o financiamento.

Você pode simular o Minha Casa Minha Vida com o simulador da caixa, para saber mais clique aqui.

# Passo 5 – Seus dados são avaliados pela Caixa ou Instituição financeira

Depois disso, os seus dados e formulário cadastral pode ser enviado para Caixa, ou outra instituição financeira para o financiamento Minha Casa, Minha Vida. Se depois de avaliado os dados forem aprovados, você será comunicado sobre isso e inclusive a respeito do sorteio das unidades e também, da assinatura do contrato de compra e venda do imóvel, podendo usufruir de sua nova moradia.

 

# Passo 6 – Usufrua do seu financiamento Minha Casa, Minha Vida

Obviamente que até a validação, tende a percorrer um longo caminho, mas isso sem dúvidas pode te proporcionar grandes facilidades para pagar as parcelas e, por isso, deve ter muita paciência. Se o seu cadastro for aprovado, assim como os seus dados, será preciso que compareça em uma das agências da instituição financeira e, assinar o contrato para o financiamento Minha Casa, Minha Vida.

 

Se ficou com dúvidas sobre o processo, busque por uma entidade organizadora.

Compartilhar é se importar!

Participe da discussão

12 comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *